RSS

Despertar

03 Jan

Deitada naquele chão escuso e delicado

Perdida entre as demais emoções,

Um desejo pedi para alcançar, para te oferecer.

Foram pequenas memórias que a ti te quis entregar.

A noite caiu sobre meu dolorido peito,

Como se uma chuva intensa me molhasse a alma

(alma já enxuta e corroída pelo dia de amanhã!)

E não pudesse te ver, te sentir como sempre fiz

E nunca soube o quão bem é que me estava a saber!

Pequenas pedras soltas lembravam-me daquele infortúnio;

Aqueles botões de rosa de cabeceira me serviram

Para ir-te buscar ao infinito da tua ausência demasiada.

Foste um quebrar de sensações, uma rotina tremenda

Que não soube digerir, não consegui apanhar.

És só mais uma queda que não consigo evitar,

Mais um rochedo que em cima de mim cai,

Sem licença nem perdão!

O suficiente para me acordar deste sonho dormente,

desse meu tardio despertar.

(00/11/20)

Advertisements
 
Leave a comment

Posted by on January 3, 2013 in Perdidos

 

Tags:

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: