RSS

Lá atrás

28 Feb

 

Sonhei com a visão do paraíso.

Visionei a perfeição do ser.

Maravilhado, aliado, era.

Mas perdeu-se no tempo, perdeu-se

nela!

 

O bom sonho de ser quem seria.

Foi e nunca mais voltou.

Ah doce palácio de açúcar;

Ah doce encarnação do Altíssimo!

 

Perdeu-se no tempo em que não o vi,

Perdeu-se na memória de não me lembrar;

Perdeu-se, enfim, na esfera da ida e da volta.

 

Agora, o tempo é sempre igual;

Agora, o vício de ter o que não se tem,

É… Tempo perdido, virtude que não se acha!

Tudo ficou… Lá atrás.

Tudo permaneceu criança e hoje sofro!

Tudo permaneceu sempre, igual a sempre!

É tudo o que me resta de lá atrás!

 

 

 

(00/05/17)

 

Há sempre um final feliz, mesmo que o final não seja o final idealizado. Mesmo que não seja, sequer, final.

 

Advertisements
 
Leave a comment

Posted by on February 28, 2013 in Perdidos

 

Tags: , , , , ,

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: