RSS

Não sei explicar o não sentir

08 Feb

Não sei explicar o não sentir
Nem comentar o não sentimento que vivo
Penso no constante encher da alma
Como se de algo meu fosse
Sendo que as vozes que me ajudam no despertar
Sentem o mesmo não sentir. Existir.
Sinto e não sei sentir por si.
Não é nem alegria nem tristeza.
Não é contentamento ou desfeita, tão pouco.
É algo que não sei por que me queixar
Se queixume são essas lágrimas
A seco.

Que perduram no meu querer algo
Sem saber o que me pede a cansada alma.
Não sei expressar. Não sei sentir.
Não sei o que de ti, pensamento-nuvem
Que sobre minha cabeça paira
Nem de ti sei falar, tão pouco saber que existe.
Quero, alma! Quero-te aqui a sentir
Nem que seja a dor
Certeza de uma não batida existir
Se dentro da existência é isto que tenho em mim
Penso.
Repenso.
Discorro entre as meríades do tempo gasto
A vontade de apenas, nem que apenas seja, um pedaço do que sentir
Queria eu saber.

Advertisements
 
Leave a comment

Posted by on February 8, 2015 in Os d'aqueles

 

Tags: , , ,

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: